Arquivo da tag: Bebê;

 

Antes de começar o assunto que vou falar no post de hoje quero me apresentar e dizer que fico muito feliz por ter mais um lugar em que possa compartilhar um pouco do que tenho vivido. Me chamo Daniela Rosa, sou mãe do Otávio de 15 meses, autora do blog Dia de Semana (www.diadesemana.com) e atuo profissionalmente como fisioterapeuta dermato funcional (área de estética).

Agora vamos ao post?

Quem já é mãe sabe muito bem que as pessoas gostam de fazer muitas perguntas sobre os bebês, costumam perguntar de tudo e uma das coisas que mais me perguntam é se o Otávio dorme bem de noite! Sim, ele dorme muito bem! Como eu amo falar dele não me importo de responder sempre as mesmas perguntas.

respirar-pela-boca

Vejo até que algumas pessoas ficam bem surpresas com isso (dele dormir a noite toda), penso que está “culturalmente” estabelecido que o bebê precisa acordar de madrugada, mas isso não é verdade.

Mas o que eu fiz para isso se tornar possível???

Antes de mais nada quero comentar que tudo depende de cada criança, cada uma tem suas particularidades (algumas tem mais facilidade para dormir e outras não).

Quando o meu filho nasceu ele perdeu bastante peso, assim a pediatra me pediu que mesmo de madrugada acordasse ele para dar de mamar de 3 em 3 horas, cumpri à risca isso, mas assim que ganhou o peso que precisava não acordei mais ele para mamar, deixava dormir até quando quisesse. Primeiro passou a dormir 4 horas seguidas, depois 5 horas e logo chegou em 6 horas (com 1 mês e meio).

Na primeira vez que dormiu tanto assim eu fiquei preocupa e quase acordei ele para ver se estava tudo bem, mas resisti e deixei dormindo.

Antes de completar 3 meses já estava dormindo no quartinho dele e lá passou a dormir mais ainda. Acredito que no quarto consegue ficar bem confortável.

Li alguns livros durante a gestação que me ajudaram em relação a isso (com o sono do bebê), os livros foram o Nana Nenê e A Encantadora de Bebês. Porém enfatizo que para cada bebê tem que existir uma adaptação adequada as suas particularidades.

Agora segue algumas dicas que deixo para as mamães para ajudar o bebê dormir melhor durante a noite.

  • Se o bebê não despertar sozinho durante a madrugada não acorde ele (nem para mamar e nem para trocar as fraldas).
  • A mamada antes do bebê dormir pode ser mais reforçada (por exemplo: se o bebê costuma mamar 120 ml você poderá dar 150 ml, quando mama no peito não temos como mensurar isso). Chamamos esta mamada de “Mamada dos Sonhos”.
  • Dê o banho antes da última mamada da noite (se puder), assim ele vai estar mais relaxado e irá dormir melhor.
  • Se certifique se o bebê não esteja passando frio ou calor e use roupas bem confortáveis para dormir.
  • Ofereça um ambiente tranquilo para o seu filho na hora de dormir (evite que fique agitado) e procure estar calma.
  • Tenha uma rotina (eles gostam de rotinas e se sentem mais seguros quando seguem uma). Se puder tenha um horário fixo para as mamadas e para dormir.
  • Ele deve dormir sempre no mesmo local. Algumas crianças as vezes dormem no seu quarto outras na cama dos pais (isso é bem ruim para o bebê).
  • Durante o dia deixe as janelas abertas, para que o bebê vá aprendendo a diferença entre dia e noite.

Quanto antes o bebê se adaptar com uma rotina de dormir durante a noite, melhor e mais fácil será!

Já aconteceu algumas vezes do Otávio chorar de madrugada, mas costumo fazer ele dormir de novo e continua dormindo até de manhã! Faço isso para que ele não se habitue em acordar de madrugada para comer, só dou a mamadeira se caso perceber que esteja mesmo com fome.

Espero que este post ajude vocês! Beijos!

Bio Daniela Rosa – Mãe do Otávio, blogueira e fisioterapeuta dermato funcional.

@DiaDeSemana

 


Sem Categoria

7
jun 2013

Ensaio Newborn é o ato cuidadoso de fotografar bebês recém-nascidos, entre 10 e 20 dias de vida. O corpo do bebê ainda está flexível, facilitando colocá-los em posições estratégicas para serem fotografados. Tem gente que torce o nariz, pois acha que o bebê ainda está muito frágil, mas vamos combinar que a oportunidade de registrar os primeiros dias de vida  de um ser humano é fantástica.

lay-baby-lay-newborn-2

lay-baby-lay-newborn-4

lay-baby-lay-newborn-3 lay-baby-lay-newborn-4

lay-baby-lay-newborn-5

lay-baby-lay-newborn-10

lay-baby-lay-newborn-7

lay-baby-lay-newborn-8

lay-baby-lay-newborn-11

lay-baby-lay-newborn-9

Imagens: on to baby

 


Sem Categoria

As fotos da sessão abaixo, foram registradas com 10 dias de nascimento do bebê, ou seja, tudo muito novo ainda…Neste período dá para capturar momentos lindos, além de detalhes do quarto do bebê, que tal?

Imagens: on to baby

Sem Categoria

 

Bom gente, finalmente completei 16 semanas. Daqui um mês eu vou estar na metade da gestação! Minha barriga já aponta por aí, a gravidez não é mais segredo para ninguém. Tô muito feliz, os refluxos parecem ter terminado, assim como os enjoos. Acho que, finalmente, descobri o glamour da gravidez ;)

Quando fiz a eco do rastreamento cromossômico, a médica disse: “não compra nada rosa, mas tudo indica que será uma menina”. No início queria menino. Fizemos a encomenda para a cegonha no exato dia da ovulação, para reforçar a probabilidade de ser menino. Mas, ok … se for menina, vou adorar igual. Começamos a discutir nomes, pesquisar o significados e até a fazer a numerologia. Algumas amigas me deram vestidinhos de presente, resgatei algumas bonecas da casa da minha mãe … Bom, se for menina, vamos entrar no ritmo.

Confesso que já tinha esquecido que queria um menininho e estava na onda menina a mil…Porém, aaaaah porém… segunda tive a ecografia das 12 semanas. Meu bebê está com (pasmem!) 17 cm e 169g. Vi na internet que com 12 semanas ficaria em torno dos 12 cm e 100g, um mega bebezão! Passou a ecografia inteira com o cordão umbilical no meio das perninhas e nada de mostrar se era menino ou menina. Parecia estar brincando de tarzam, com as mãozinhas agarradas no cordão e o cordão no meio das pernas. A médica cansou de me apertar, me girar, e puxa a barriga, empurra a barriga e nada do cordão sair dali. Aí combinamos que ela terminaria a ecografia, eu daria uma voltinha pela clínica, tomaria uma água e repetiria a eco. Ora bolas, vamos mostrar o que tu tem aí no meio, seu bebê safado. Não tinha nenhum chocolatinho à mão para dar aquele gás. Foi quando vi uma garrafa térmica de café. Não sou de beber café. Na verdade, não gosto. Mas era uma causa justa, pois precisava dar um sacode naquela ervilhinha da minha barriga. Servi um copinho de café (aqueles plásticos, pequenininhos) e botei TRÊS colheres de açúcar! Glicose e cafeína a mil… Quando repetimos a eco, o bebê estava agitado. Pulava, mexia, dava soco no ar e … tcharãããããããm abriu as perninhas! E sabe o que é o meu bebê?? Um gurizããããããoooo! Lindo, fofo, grande e forte. O coração a mil, maior que a média dos demais da “idade dele”, super saudável e eu fiquei radiante. Naquele momento, em que a médica disse: “tem um tiquinho ali” eu lembrei lá do início da gravidez, quando eu torcia para que fosse um menino!

Fiquei tão feliz! Estou radiante, chego a me emocionar cada vez lembro que estou carregando um gurizão aqui dentro. Quando saímos contando que era um menino, uma amiga me mandou um vídeo com um texto muito lindo. Chorei horrores vendo e divido o texto e o link por aqui …

Torcida Por Você – Liliana Barabino

Mesmo antes de nascer, já tinha alguém torcendo por você.
Tinha gente que torcia para você ser menino. Outros torciam para você ser menina.
Torciam para você puxar a beleza da mãe, o bom humor do pai.
Estavam torcendo para você nascer perfeito.

Daí continuaram torcendo.
Torceram pelo seu primeiro sorriso, pela primeira palavra, pelo primeiro passo.
O seu primeiro dia de escola foi a maior torcida. E o primeiro gol, então?

E de tanto torcerem por você, você aprendeu a torcer.
Começou a torcer para ganhar muitos presentes e flagrar Papai Noel.
Torcia o nariz para o quiabo e a escarola. Mas torcia por hambúrguer e refrigerante.
Começou a torcer até para um time.
Provavelmente, nesse dia, você descobriu que tem gente que torce diferente de você.

Seus pais torciam para você comer de boca fechada, tomar banho, escovar osdentes, estudar inglês e piano.
Eles só estavam torcendo para você ser uma pessoa bacana.
Seus amigos torciam para você usar brinco, cabular aula, falar palavrão.
Eles também estavam torcendo para você ser bacana.
Nessas horas, você só torcia para não ter nascido.
E por não saber pelo que você torcia, torcia torcido.
Torceu para seus irmãos se ferrarem, torceu para o mundo explodir.

E quando os hormônios começaram a torcer, torceu pelo primeiro beijo, pelo primeiro amasso.
Depois começou a torcer pela sua liberdade.
Torcia para viajar com a turma, ficar até tarde na rua.
Sua mãe só torcia para você chegar vivo em casa.

Passou a torcer o nariz para as roupas da sua irmã, para as idéias dos professores e para qualquer opinião dos seus pais.
Todo mundo queria era torcer o seu pescoço.

Foi quando até você começou a torcer pelo seu futuro.
Torceu para ser médico, músico, advogado. Na dúvida, torceu para ser físico nuclear ou jogador de futebol.
Seus pais torciam para passar logo essa fase.

No dia do vestibular, uma grande torcida se formou.
Pais, avós, vizinhos, namoradas e todos os santos torceram por você.
Na faculdade, então, era torcida pra todo lado. Para a direita, esquerda, contra a corrupção, a fome na Albânia e o preço da coxinha na cantina.

E, de torcida em torcida, um dia teve um torcicolo de tanto olhar para ela.
Primeiro, torceu para ela não ter outro.Torceu para ela não te achar muito baixo, muito alto, muito gordo, muito magro.
Descobriu que ela torcia igual a você. E de repente vocês estavam torcendo para não acordar desse sonho.
Torceram para ganhar a geladeira, o microondas e a grana para a viagem de lua-de-mel.

E daí pra frente você entendeu que a vida é uma grande torcida.
Porque, mesmo antes do seu filho nascer, já tinha muita gente torcendo por ele.

Adivinha? Chorei de novo. Bom, o bebê ainda não tem o nome 100% decidido. Mas nos próximos relatos, já conto para vocês. Trabalho com eventos e, daqui pra frente, tenho casamentos todos os finais de semana, exceto no dia 20 de outubro, e eu estou organizando o chá dele para esse dia. Em breve mostro o save the date, a identidade visual e todos os detalhes. Segue, um oi do meu bebezão para vocês ;)

 


Sem Categoria

 

De volta da viagem, hora de organizar o quartinho!!! Sou uma pessoa muito prática e não via muita razão para gastar fortunas para fazer um quartinho de bebê. Depois de 2 anos, o quartinho se torna pequeno e é necessário investir num novo quarto para uma criança maiorzinha. Então, decidi direto investir num quarto maiorzinho.

Em meu apartamento tinha um quarto de jogos: tudo que não queríamos, ou não sabíamos onde guardar, jogava nele. Esse quartinho virou um quarto de bebê.

Recentemente minha sogra se mudou e pegamos da antiga casa dela o guarda-roupas de solteiro do meu esposo. Um guarda-roupas ótimo, com madeira maciça, de Gramado. O guarda-roupas era todo cor marfim e eu resolvi dar um UP nele: forrei as portas com papel contact branco. Ficou LIIIIINDOOOOOO! Parece que as portas foram laqueadas. Modéstia a parte, fiz um trabalho show de bola.

Depois, comprei um papel de parede listrado de verdinho (gente, na minha vida TUDO é verde. Amoooo!) e apliquei num canto. Ficou beeem bacana!!! Já tinha meio quarto pronto.

Nessa mesma mudança da minha sogra, descobrimos, por acaso, perdido no porão dela o berço que meu esposo usou quando bebê. Um berço de 30 anos atrás, todo estilo retrô … com uma cor combinando com o guarda-roupas. Adoreeeeeiiiii! Ainda falta dar uns toques branquinhos nele, mas vai ficar um arraso!

Por fim, faltava uma bancada para fazer de trocador. Fui a uma loja de móveis sob-medida, apresentei o cantinho que eu queria de trocador (o mesmo onde eu tinha aplicado o papel de parede) e ele fizeram um projeto de trocador-escritório. Quando nascer, vira trocador … depois já vira escrivaninha, bancada de estudos (aliás, eu tô escrevendo esse relato direto do trocador, hehehehe) e eu achei ótimo! Super dentro da proposta que eu tinha de não investir num quartinho muito bebê.

Resumo da ópera: gastei super pouco, para ter um quarto que vamos aproveitar por muito tempo. Claro, tem coisas que não são novas (como o guarda-roupas e o berço), mas também não há necessidade de gastar quando se tem como aproveitar coisas ótimas, que fazer parte da vida do meu esposo (o berço de quando era bebê e o guarda-roupa da adolescência). Como eu disse no início, sou muito prática … mas odeio coisa feia ou com jeito de “gambiarra”. Aproveitei dois móveis super bons e fiz um espaço super lindo!

Abaixo, algumas fotinhos … ele recém terminou de ser montado. Falta toda a decoração e os detalhes … mas até fevereiro, mostro tudo para vocês.

Imagens: arquivo pessoal

Sem Categoria

Domingo completei as enigmáticas 12 semanas. Digo enigmáticas porque tudo, eu disse TUDO, que eu perguntava a médica, a resposta tinha alguma relação com as 12 semanas. Quando vou saber o sexo? Quando paro de sentir sono? Quando os enjoos terminam? A resposta era sempre: depois das 12 semanas. Fora que, até completar as 12 semanas, o risco de um aborto espontâneo é muito grande, e isso é algo que amedronta só de pensar.

Mas o fato é que passei das 12 semanas! Estou radiante. Os enjoos reduziram em 95%. Eventualmente surge uma lembrança dele, mas não tenho tido mais vômitos e tenho me alimentado muito bem. Nesses três meses, engordei apenas 1,2 kg. Um pouco pelos enjoos, outro pouco, porque sou uma pessoa bastante agitada e não gosto muito de ficar parada. Então, mesmo com todas as orientações de evitar esforços e atividades muito intensas (em especial pelo risco de perder o bebê no início) eu mantive minha rotina normal. Continuei caminhando muito, trabalhando normalmente e, confesso, as vezes sentia uma fisgadinha na barriga, mas aí, nessa hora, parava e descansava um pouco. Acho que tudo isso ajudou no controle do peso, pois dizem que, em média, se engorda um quilo por mês e eu engordei 400g.

Porém, apesar do pequeno aumento de peso o bebê está fantasticamente bem. Na última terça fiz a eco do rastreamento cromossômico e os resultados foram muito bons. O bebê é perfeito, grande para a média dos demais bebês da “mesma idade”, super agitado (parecia a Daiane dos Santos, colocando as perninhas na cabeça). Lindo. Admito que foi nessa eco que me senti mãe pela primeira vez. É inexplicável a sensação de tu ver, pela primeira vez, aquele bebezinho, que responde aos estímulos do médico, dá soquinhos no ar, mexe as perninhas, é uma emoção única.

E nessa eco a médica deu um chute para o sexo. Disse ela: “não comprem nada rosa ainda, mas deve ser uma menina”. No início, como já contei aqui, eu tinha certeza que era menino. Mas fiquei extremamente feliz em saber que pode ser uma menina, e agora, conto nos dedos pela primeira semana de setembro, quando farei a próxima eco e que deve confirmar o sexo.

Por enquanto, estamos discutindo algumas opções de nome. Eu tenho o meu preferido e o pai tem outro. Vamos ver quem tem os melhores argumentos.hehehe

No próximo relato vou contar mais sobre a eco. O relato é bastante emocionante para mim e quero fazer um texto só para ele…

Deixo com vocês uma pequena imagem do meu bebê,lindo, vai dizer? :)

Imagem: Arquivo pessoal

 


Sem Categoria

15
jun 2012

Sim, tem rosa, mas é um tom bonito que com o branco e cinza, ficou adorável, tranquilo. Adourei, e você?

Sim, todos querem apertar este bebê lindo!

Imagens: On to baby

Sem Categoria